Margot Wikker [Completa]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Margot Wikker [Completa]

Mensagem por Margot Wikker em Dom Fev 21, 2016 12:42 am




MargotWikker

NOME /////////////Margot Francis Wikker


IDADE /////////////18/12/1988 | Sagitário


TENDÊNCIA ///////////// Neutra Desleal 


MUSICA ///////////// Cherry Bomb | The Runaways


HABILIDADES ///////////// Combate à Distância e Combate Corpo a Corpo | Força | Diplomacia e Raciocínio



CARGO /////////////
Especialista em Balística


FACECLAIM /////////////
Julia Voth



De começo Fournier era uma presença indiferente para Margot. Aos poucos ele tentava se aproximar e paquerar com a morena de uma forma cada vez mais apelativa e a incomodando, a julgando como uma - como ele mesmo dizia - "cachorra". Até que uma noite em que Margot decidiu ficar até mais tarde para analisar um cartucho de balas deixado num crime, e Fournier a assediou fisicamente de surpresa e a mulher num movimento brusco pegou sua faca de caça e cortou a bochecha do homem detestável. Um corte superficial que fora acompanhado com uma ameaça da mulher e um curativo à mostra no dia seguinte no trabalho.
No entanto não estava satisfeita com o troco que dera. Ela precisava se livrar dele para não ser mais incomodada. Resolveu envolver a contribuição da lei e da declaração de todas as outras mulheres vítimas de assédio do homem. Chegou a ser ameaçada de morte pelo imbecil.
No fim não houveram mais assédios ou cortes, porque Fournier fora encontrado morto (e ela não sente falta dele).

PERSONALIDADE


Palavrões, sarcasmo, risada alta, deboche, pavio curto e coberta de um jeito galanteador: essa é a primeira impressão que Margot causa em quase todos que passarem em seu caminho. Com uma filosofia de vida em que “na medida do possível dê foda-se” prevalece, a morena sempre passa uma imagem de totalmente despreocupada e imprevisível o que a torna facilmente subestimada (e digamos que ela vê isso como vantagem). Afinal o que esperar de alguém que de primeira impressão (e segunda, terceira, quarta...) xinga mais de uma centena de vezes ao dia, ri ao debochar, não demonstra ter senso de formalidade e logo nem de longe tem traços de delicadeza ou características “mais femininas”? As piores coisas, provavelmente.

No entanto, Margot consegue levar as coisas a sério sim e ainda mais nas horas mais precárias, basta ela considerar isso. Focada, quando lhe é dada uma função a mesma procede com vigor e todo esforço possível e isso a torna alguém que não aceita muito bem fracassos. E se ela vê que fez algo que realmente prejudicou uma pessoa de bom caráter, esta pede perdão sem rodeios pois é direta como uma bala. Então há sinais de honra na moça e uma elevada coragem e confiança que suprimem seu orgulho.

A morena é do tipo de mulher que sai quase todo dia, seja para beber em bares, ir em shows, fazer exercícios, ou qualquer outro programa que a entretenha e a tire da rotina, sendo a única razão para ficar em casa é algo do trabalho; cuidar de seu gato; seu tempo de dedicação à leitura; ou suas ligações para o pai. Além disso ela também é o tipo de sangue forte que obedece maiores autoridades quando convém, por exemplo, excluindo padrão de vestimenta para cada ocasião e local preferindo aos coturnos e roupas confortáveis, ventiladas e leves; bater continência(se ela fizer isso entenda como um fundo de sarcasmo) entre outras disciplinas para com a chefia é só no trabalho, fora de lá qualquer pessoa é tratada igualmente e sem cerimônias.

Ela não se preocupa com a reputação que recebe desde que esta não seja totalmente mentira: “É uma puta”... é liberta; “é uma desleixada e porca”... despreocupada; “não passa de uma mentirosa!”... opa opa! Vamos com calma. O correto é que é sincera a ponto que ultrapassar as barreiras da arrogância, mas não espere que ela não saiba ocultar fatos. Mentir é um recurso usado em “emergências” pois a morena presa por sinceridade tanto própria quanto alheia, sendo esta talvez uma das únicas coisas que faz a confiança de Margot ser conquistada: ser honesto com seus pensamentos e intenções. E por falar em sinceridade ela não aceita crítica ou opinião de terceiros voltadas a ela sem expressar o que pensa - a não ser que sinta que a pessoa tem total razão e não há o que acrescentar. Ela também tem certa habilidade com as palavras, lhe sendo útil para tentar convencer as pessoas (na maioria das vezes às suas vontades físicas).

O que não é subestimável em Margot é sua praticidade e paixão às armas de fogo, sua capacidade física e seus conhecimentos em sua área. Tendo um histórico educacional de melhores notas (com algumas advertências de má conduta pela boca venenosa que tem e um sentido vingativo), um cargo importante de franco-atirador do exército e a boa reputação de seu físico pela preparação militar anterior ao do departamento, a texana pode agir tanto em combate à distância quanto corpo a corpo e apresentar uma boa esquiva e força assim como notáveis resultados em sua área. E se tem uma mulher que mostra que com ela não se brinca, esta é a Margot. Nunca se viu como líder de grupo (prefere trabalhar por si e quando monta estratégias estas sempre têm saídas somente para ela) mas também nunca aceitou ser uma aliada feita de gato e sapato. Ela segue os que achar capacitados e o menor erro a faz ter de tomar outro caminho e abandonar o líder indigno sem rodeios. E é melhor que o indivíduo não cometa nenhum mal à mulher, pois ela é capaz de atirar na sua cabeça ou genitálias há metros de distância – ela dará a opção de escolher se vai ser a tiro ou espancamento. Ademais, tolerante na medida do possível dela e vingativa quando se ultrapassam limites.

Focando mais no tópico de como ela se relaciona com as pessoas a americana pode ser rodeada destas, mas essa os considera no máximo colegas ou conhecidos e nem de longe tem problemas em ter somente a si como companhia. É de raros amigos, pois confia em muito poucos e tem apresso por pessoas pacientes e corretas – diga-se de passagem que são praticamente seu oposto. Isso por preferir indivíduos que tenham paciência em lidar com a mesma e mais ainda quando têm de lhe dar ensinamentos – a texana tem plena noção de que é rude e que pode ser cabeça dura, então não se impressiona quando uma pessoa está farta dela. Mas ela também não tem receios de desapego e de abandonar mesmo que perdoe um erro... Margot é – como já fora dito – do Texas, e lá a individualidade e independência são o que há de mais precioso para qualquer texano. Se deixar ser feita de capacho não é nem de longe o estilo da ex-caipira.

Agora falando de seus relacionamentos íntimos: como já fora dito a morena é flertadora e ainda mais com pessoas de grande intelecto (há seu passado de menina do campo bem encorpada que só namorava os nerds no seu colegial como prova) o que a faz ser classificada como uma sapiossexual por se atrair primeiramente pela inteligência da pessoa e só após as outras qualidades são notadas; sua orientação é bissexual quase chegando na fronteira da pansexualidade, no entanto é héterorromântica: só se apaixona e constrói uma relação amorosa com homens. Ela não se ofende ao ser recusada pois a paquera é só uma interação para se chegar a algo mais, uma espécie de jogo e um “não” nunca é dado como fracasso. Ela passará para a próxima pessoa, mas também não se importará em repetir a jogada em outro momento mesmo após ter sido nega... vai que mudem de ideia. Seu instinto de se atrair por quem demonstra ter conhecimento e que sai do comodismo mental é fruto do seu apresso por pessoas que lhe impressionem ou despertem sua curiosidade acentuada. E ter um compromisso sério com ela não é problema, mas não se surpreenda se ela solicitar meios de apimentar a relação com a participação de terceiros já que gosta de sair da rotina vez ou outra - talvez quase sempre - e nunca trai, mas não vê mal em haver variações na relação desde que estas sejam aceitas por ambas partes. E casar? Só com um homem que realmente a arrebate em todos os sentidos, que se mostre intenso e saiba lidar com ela de alguma forma. E filhos? Talvez um dia ou quem sabe nunca. Ela tem a cabeça firme, mas dependendo de quem se põe ao seu lado ela pode se permitir deixar levar pelas vontades do outro, pois assim como os outros não a levam a sério para grandes responsabilidades na vida pessoal - casamento, constituir família, etc - ela também não leva.
Há potenciais em si que nem ela mesma chegou a explorar.


HISTÓRIA


Nascida na capital interiorana do Texas chamada Austin, Margot cresceu sendo criada somente com o pai já que a mão se fora em meio ao parto (uma gravidez de risco em que só uma poderia ser poupada). Sendo assim ela era acostumada desde pequena a ser independente e testar suas habilidades mentais e sua força, não a brincar de boneca e fazer bolinho de terra – praticamente criada como um menino então.

O pai era veterano de guerra e à medida que a menina crescia as brincadeiras de menino passaram a serem atividades de recruta e de fazendeira. E como não era nada de intensidade exagerada, conseguia se equilibrar com o tempo para se dedicar a estudos e vida social para que seu desenvolvimento não fosse prejudicado.

Tendo um patriarca não só forte e destemido, mas também de conhecimentos apurados para se espelhar e ter como exemplo de homem, Margot tinha certo padrão em procurar cativar pessoas do sexo oposto – e vezes do semelhante – com um padrão de personalidade ativa e intelecto elevado. O pai não lhe proibia de se relacionar com quem fosse desde que tivesse consciência de seus atos e que assim aprendesse a lidar com as pessoas e com relações do jeito que achasse melhor.

Ao atingir dezoito anos, a morena deixou de ser a moça aventureira do campo e seguiu os passos de seu patriarca ao se alistar no exército, se mantendo lá por três anos e conseguindo o título de especializada no cargo de franco-atirador (praticava tiros com o pai desde mais nova). Além disso, lá teve seus atributos físicos melhorados e sua então descoberta paixão por armas de fogo, especialmente por rifles de precisão. E graças ao seu título, lhe foi garantida uma bolsa para o bacharelado em Ciência Forense, onde se especializou nada menos que em Balística Forense.

Era óbvio que a texana não desejava passar a vida cuidando de uma fazenda, fazendo faculdade de veterinária ou morrer na guerra. Seu destino era lidar com armas, balas e estudá-las. Isso a fez se inscrever nas vagas oferecidas pelo FBI, por esforço e quem sabe sorte ter sido aprovada e então passar sob o treinamento do quartel. Margot é literalmente uma novata ali, mas não demorou muito para logo passar a repudiar alguém que se chamava Fournier.


CURIOSIDADES


» Margot sempre anda equipada com alguma arma portátil e prática, na maioria das vezes é de fogo;
» A única relação significativa com alguém por agora é com a colega de trabalho Alasca;
» Tem um gato preto chamado Lúcifer;
» É de se esperar que goste apenas de músicas agitadas como ela costuma ouvir (rock, alternativo, etc) mas Margot em seus momentos a só em seu apê também ouve música instrumental, clássica e ópera, costume herdado do pai que herdou da falecida esposa - mãe dela;
» É viciada em chocolate e estranhamente em cereja;
» Então se você ver hastes de cereja enroladas, Margot passou por ali e ela as enrola somente com a habilidosa língua.


avatar
Margot Wikker
Time Um
Time Um

Idade : 28
Sagitário
Ficha do personagem
Grau : 1ª
Tend&Leald: Neutra Desleal
Cargo: Especialista em Balística

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum